acid baby

Versos livres

 Falta-me a rima e a métrica dos bons poetas. A paciência parnasiana não me fora dada; destas obtusas mãos, a arte que sai é inteira errada. Apego-me à prosa torta, letras desnaturadas que dançam ao som duma orquestra anárquica e estrondosa. Neste louco bailar, descubro algo em mim. As palavras escrevem-me, dão-me o sentido; não as escolho, elas nascem por si.

2 comentários:

  1. AH, MAS QUE COISA MAIS BONITA 💗

    Viva a liberdade dos versos livres para nos dizer tudo o que precisam!

    ResponderExcluir
  2. Assim escrito e descrito,me parece - e me agrada pensar, numa conexão com o Universo do livremente belo.

    Saudações!

    ResponderExcluir

♥ sinta-se à vontade, meu amor, mi casa es su casa. só lembre-se: respeito acima de tudo. ♥